Segunda-feira, 2 de Julho de 2007

Crítica: "Die Hard 4.0"

 Classificação:  (9/10)

 

 

"Yipee-Ki-Yay Motherfucker!!!... "


Passados 18 anos do primeiro filme da série, John McClane surge igual a si próprio - sereno, descontraído e com a vida sempre virada do avesso. O agente da polícia com mais azar da história do cinema (está sempre no local errado, à hora errada) volta a entrar em acção. Muitos eram os receios que tinha perante o filme. O trailer era vistoso, mas faltava-lhe conteúdo, envolvia grandes cenas e sequências de acção, mas mesmo assim não me convencia. Portanto quando comecei a ouvir um certo feedback positivo de quem já tinha ido ver o filme, quis confirmar com os meus próprios olhos. E apraz-me dizer que o filme é efectivamente bom. Comecemos então pelos aspectos positivos.

 

Len Wiseman dirige de forma eficaz um grande filme de acção, bem filmado, com todas as sequências bem estruturadas e com um ritmo agradável (quase nem se nota o passar das horas). Não esquece de no meio de tanta acção, colocar o 11 de Setembro bem presente em praticamente todas as imagens e retratar de forma exemplar o medo por ele instaurado e por cada um de nós sentido após esse dia. Bruce Willis volta em força à personagem que lhe deu fama. O humor sempre pronto, mordaz e corrosivo encaixa perfeitamente na história e, enquanto via o desenrolar da narrativa, sentia uma enorme satisfação por finalmente terem conseguido trazer de novo ao grande ecrã este ícone do cinema.


A definição de uma história foi a principal razão pelo desfasamento de tempo existente entre o terceiro e o quarto episódios, ao que parece iam surgindo muitas hipóteses para um argumento, mas nenhuma tinha luz verde. A escolha recaiu nas novas tecnologias, o que demonstrou ser a melhor opção. Num mundo cada vez mais dependente da informática, alguém que a domina é sempre um perigo para o bem-estar dos outros. É genial, a relação de McClane com as novas tecnologias, polícia da era analógica, completamente à parte da era digital, mas que ainda sabe o suficiente para deitar por terra os planos dos terroristas. Como não sabe, arranja um parceiro improvisado, um “perito” informático, que revelou ser, também, uma óptima escolha de casting, pois a química entre os dois protagonistas é notória e as sequências cómicas protagonizadas por ambos são excelentes. A filha, apesar de secundária, acaba por ter um papel importante e no que lhe diz respeito não põe em causa a qualidade do filme.


Positivamente, tenho também de referir as muitas e prolongadas sequências de acção. Numa época em que se recorre, para praticamente tudo, aos efeitos digitais, foi uma agradável surpresa ver que muitas das sequências são compostas por imagens reais, valendo-se “apenas” de efeitos especiais que, por diversas vezes, me deixaram de boca aberta. A título de exemplo, a sequência do carro vs helicóptero (que para quem não sabe foi real, aconteceu mesmo) e algumas sequências com o camião, nomeadamente aquela em que o mesmo é destruído pelas metralhadoras do avião. De tão reais serem deixam qualquer um com os olhos bem esbugalhados.


A música é outro dos factores a ter em conta pela positiva. O facto de haver mudança de compositor, o que poderia causar uma discrepância do registo musical, não aconteceu, sendo possível mesmo ouvir, por diversas vezes, o tema genérico do Die-Hard. O que acaba por demonstrar um cuidado enorme pelos antecessores da série. Quanto à música original de Marco Beltrami, é agradavelmente discreta, sente-se a presença dela, mas nunca incomoda. O que também acaba por fugir à regra do cinema standart americano, onde há música do início ao fim, mesmo quando não é preciso.


Com tanta coisa positiva até me custa falar daquilo que considero ser o aspecto mais fraco do filme: o vilão. Só ganha verdadeira dimensão na sequência final, e, mesmo assim, sabe a muito pouco. Até aqui vem a arrastar-se demonstrando muita fragilidade, sempre refugiando-se num qualquer esconderijo por detrás de um computador. A sua falta de força é notória especialmente no confronto final com McClane, não tem a energia necessária para ser um vilão à altura de um filme como Die Hard. Dá a sensação de ser uma presa fácil para John McClane.


Outro dos pontos negativos, mas que considero ser de menor importância, é a magnitude da cena do confronto entre o avião e o camião. Se atrás a referi como contendo algumas das melhores sequências, também a tenho que incluir na menos bem conseguida noutras partes. Nomeadamente na altura em que o avião é destruído e McClane anda para lá a saltar e agarrar-se, sabe-se lá como. Apesar de ser menos bem conseguida chegamos a este ponto do filme totalmente rendidos à magia, tanto do renascimento de uma das melhores sagas de acção, como à magia do realizador pela forma como consegue contar a história, quase não se dando conta das pequenas falhas. Em conclusão, fiquei rendido e agradavelmente surpreendido.


O Melhor: Bruce Willis como John McClane e o “Yipee-Ki-Yay Motherfucker!!” final, simplesmente genial.


O Pior: A falta de um vilão à altura, ou de um actor que conseguisse dar um vilão à altura. E a falta que ele faz a este filme.

publicado por OlharCrítico às 12:20
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Zarolho a 2 de Julho de 2007 às 12:49
Está decidido. Tenho mesmo de ir ver o filme.

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

FILMES: 2009

Angels & Demons

Choke

Gran Torino

O Contrato

Slumdog Millionaire

Terminator Salvation

The Watchmen

The Wrestler

Transformers 2: Revenge of The Fallen

 

 

FILMES: 2008

007-Quantum of Solace

10.000 BC

Burn After Reading

Eagle Eye

Hancock

I Am Legend

In The Valley Of Elah

Indiana Jones & The Kingdom of The Crystal Skull

Iron Man

Mamma Mia!

Max Payne

Meet the Spartans

Mirrors

National Treasure 2 - Book of Secrets

No Country for Old Men

Saw 4

Taken

The Curious Case of Benjamin Button

The Dark Knight

The Forbidden Kingdom

The Mist / Cloverfield / REC

The X-Files-I Want to Believe

Tropic Thunder

Untraceable

Wall-E

You Don't Mess With the Zohan

 

 

FILMES: 2007

1408

300

American Gangster

Beowulf 3D

Corrupção

Die Hard 4.0

El Laberinto Del Fauno

Fantastic Four 2

Ghost Rider

Ocean´s 13

Piratas das Caraíbas 3

Rocky Balboa

Shrek 3

Sicko

Spider-Man 3

The Bourne Ultimatum

The Brave One

The Good Shepherd

The Simpsons Movie

The Transformers

Wild Hogs

Zodiac

 

 

FILMES: 1980-1989

Aeroplane

Big

Look Who's Talking

 

 

"Indivíduas" do Sexo Feminino

O Estranho Caso… das Traduções de Títulos

Let´s Look At a Trailer… Or Not…

Xô Publicidade Xô!!!

Cinema Português… Para onde vais tu?

País de Brandos Costumes... Pipocas ou McDonald's?

Ò tempo, volta para trás! (Já baixavas os preços do cinema não?)

"Filmes para Maiores de…"

"Original vs Dobrado"

"Livros e Cinema (serão assim tão diferentes?)"

"E Viva lá TV!!"

"Futebóis"

"O TERROR, o drama, a emoção… e por aí fora"

"Nunca um ADEUS mas sim um ATÉ JÁ!"

"Onde pára a Originalidade e a Imaginação?!"

"Excelência nas editoras?! – É raro, muito raro!"

"Férias… Palavras para quê?!"

tags

todas as tags

posts recentes

Férias… Palavras para quê...

Excelência nas editoras?!...

Onde pára a Originalidade...

Crítica: "Transformers 2:...

Nunca um ADEUS mas sim um...

O TERROR, o drama, a emoç...

Novos posters de "Sherloc...

Trailer (do caraças) de "...

Futebóis

Crítica: "Terminator Salv...

"Iron Man 2": 1ª foto de ...

Trailer de "500 Days of S...

Crítica: "Six Feet Under"

Venha daí o CLICHÉ pois e...

Sam Worthington em "Clash...

Ora digam lá, o que é mai...

David Carradine (1936-200...

Teaser de "[REC-2]"

E Viva lá TV!!

Livros e Cinema (serão as...

arquivos

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

links

votações

Melhor Bond...James Bond

Melhor Serial Killer

Melhor Filme de Natal

Melhor Filme de Super-Heróis

Melhor Actor Secundário

Melhor Filme Romântico

Melhor Série de TV actual

Melhor Transformação Física

Melhor Dupla de Cinema

Actor de TV mais sexy

Actriz de TV mais sexy

Melhor Monstro

Melhor Blockbuster

Melhor Actor Actual de Acção

Melhor Temporada do 24

Melhor Filme de Quentin Tarantino

Expectativas para o The Dark Knight

Melhor Filme de Steven Spielberg


Locations of visitors to this page

 

 

subscrever feeds