Sábado, 24 de Fevereiro de 2007

"Rocky Balboa" - Rocky vs Vida

 

Em todos nós existe a eterna questão do envelhecimento, de como vamos enfrentá-lo, de como vamos ser, ou até mesmo se um dia conseguiremos lá chegar. Rocky acaba por nos dar uma tremenda lição de vida, sem qualquer tipo de exagero de “moralismos”. Talvez seja por isso, que ao vermos o filme seja impossível, não esboçarmos um sorriso com diálogos tão aproximados do real, com tanta naturalidade e acima de tudo transmitidos da mesma forma. É um realismo surreal, (perdoem-me o contracenso e o jogo de palavras), vermos o desenrolar das questões que vão sendo descobertas com o avançar da história. E nada melhor que começar pelo início, onde tal como Rocky a cidade de Filadélfia está completamente ao esquecimento, dito de outra maneira, envelhecida mas a vida não é só “sunshines and rainbows”. Rocky aparece como um homem mudado, Adrien morreu, o seu filho exige demais do seu pai sem antes conseguir exigir a ele próprio e à mistura aparece um típico mastodonte, mais novo, mais preparado física e emocionalmente que vem pôr em ebulição todos os sentimentos guardados dentro de Rocky. Tudo está dito, feito e filmado de uma forma tão simplista quanto envolvente, Stallone é Rocky, vive e respira da mesma forma, e acima de tudo quer despedir-se do personagem com uma sentida homenagem. Objectivo amplamente alcançado. Do ponto de vista técnico, o filme não trás nada de novo, os planos são eficazes conseguindo na totalidade demonstrar o que é pretendido, adorei a conversa entre pai e filho à porta do restaurante, e confesso que detestei o único minuto que reservaram para o treino, que me parece de todo mal aproveitado e sem qualquer tipo de nexo. De notar as inovações no combate, com o jogo de preto e branco e cor, e a imagem televisiva que na verdade é um convite a estarmos a levar com os salpicos de suor como se ao pé do ringue, da vida, conseguíssemos estar. E no fim é como todos dizem, só nos apetece ver os créditos passar e lembrar com nostalgia que Rocky é daqueles personagens do cinema que vai ficar para todo o sempre, goste-se ou não.
publicado por OlharCrítico às 15:23
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

tags

todas as tags

posts recentes

Férias… Palavras para quê...

Excelência nas editoras?!...

Onde pára a Originalidade...

Crítica: "Transformers 2:...

Nunca um ADEUS mas sim um...

O TERROR, o drama, a emoç...

Novos posters de "Sherloc...

Trailer (do caraças) de "...

Futebóis

Crítica: "Terminator Salv...

"Iron Man 2": 1ª foto de ...

Trailer de "500 Days of S...

Crítica: "Six Feet Under"

Venha daí o CLICHÉ pois e...

Sam Worthington em "Clash...

Ora digam lá, o que é mai...

David Carradine (1936-200...

Teaser de "[REC-2]"

E Viva lá TV!!

Livros e Cinema (serão as...

arquivos

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

links

votações

Melhor Bond...James Bond

Melhor Serial Killer

Melhor Filme de Natal

Melhor Filme de Super-Heróis

Melhor Actor Secundário

Melhor Filme Romântico

Melhor Série de TV actual

Melhor Transformação Física

Melhor Dupla de Cinema

Actor de TV mais sexy

Actriz de TV mais sexy

Melhor Monstro

Melhor Blockbuster

Melhor Actor Actual de Acção

Melhor Temporada do 24

Melhor Filme de Quentin Tarantino

Expectativas para o The Dark Knight

Melhor Filme de Steven Spielberg

subscrever feeds