Sábado, 30 de Maio de 2009

E Viva lá TV!!

 

A televisão é por estes tempos, fonte de grandes produções… e da mesma forma é actualmente fonte de… grandes barracas! Também é indiscutível que o jornalismo na sua base modificou-se com o avançar dos tempos. Eu ainda me lembro (também não foi assim há tanto tempo), quando os pobres dos entrevistados mal abriam a boca, e eram logo interrompidos pelo jornalista por esta ou aquela razão. Também me lembro da célebre frase – “não está a responder à minha questão”, ou “está a desviar-se da minha pergunta” – frases que se formos a ver bem, são muitos poucas vezes utilizadas hoje. Aliás, a coisa mudou tanto que antigamente, independentemente da pertinência, ou não, da resposta esta era interrompida, e hoje deixam-nos falar e falar e falar, num exercício puro de retórica pois na grande maioria das vezes não respondem às perguntas que foram solicitadas, ou melhor contornam-nas.

 

Mas os tempos mudaram e de que maneira. Agora os entrevistados são interrompidos, porque o Mourinho chega a Portugal (que é de facto uma notícia importante) – aliás eu exijo também saber quando o Mourinho vai à casa de banho pois parece-me pertinente saber quantas vezes ao dia o senhor recorre a esse tipo de serviços da mesma forma parece-me pertinente saber quem é que vai substituir quem num reality show em pleno jornal (em directo note-se). É que se for de outra forma não poderá ser considerado jornalismo ou até serviço informativo. Discute-se muito que o jornalismo deve ser isento e imparcial, que o jornalista não deve opinar e por aí fora. A verdade é que a isenção e a não opinião, se formos a ver bem nem ocorre assim tantas vezes. Temos jornalistas que discretamente conseguem dar a sua opinião, ou a partir de um silêncio/ pausa mais prolongada, ou um olhar mais implícito ou até de um ligeiro esboçar de um sorriso. É discreto é um facto, mas a opinião está lá. Outros porém, já não o fazem de forma propriamente discreta.

 

Há televisões que gostam de marcar a sua posição, e normalmente fazem-no diferenciando-o de todos outros, se bem que me parece importante dizer – e temos que ser realistas – o nível qualitativo dos canais portugueses é manifestamente baixo (anda mesmo pelas ruas da amargura). Apesar de nem sempre nos agradarem e nem sempre serem os mais correctos também não é por isso que nos podem impedir de falar deles, afinal de contas da última vez que vi a ditadura acabou em 74, se bem que agora andemos lá perto e com a coisa mais ou menos disfarçada. Com isto chego ao acontecimento mostrado em directo (em bom jeito Português que é sedento de sangue) na passada 6ªF, na TVI. E meus amigos, a única coisa que sei, é que já vi touradas bem menos animadas. Independentemente de se gostar ou não, independentemente da cor política que cada um de nós (e eles) vestem, aquilo não pode acontecer, e acima de tudo, de jornalismo não tem rigorosamente nada. E pelo que me consta (sim porque da tvi só vejo mesmo o “House” isto é quando já não estou meio a dormir, todo torto no sofá com a saliva a escorrer-me pelo canto da boca de tanto esperar) o acontecimento da semana passada não é filho único, o que transparece uma certa gravidade na coisa. Confesso que fiquei algo espantado com as explosivas declarações de Sócrates há umas semanas atrás, mas de certa forma, a modos que fiquei a compreendê-las depois de ter visto tamanha (altercação) ou pega entre aqueles dois, que mais uma vez digo não pode acontecer num canal que se preze.

 

Mais espantado fiquei ainda com a “não” reacção do canal em causa. Quer dizer, o Sócrates fala e tem direito a resposta (defesa), por parte do responsável do programa, muito mal ensaiada diga-se (o senhor quase que engolia em seco cada vez que iniciava uma frase), onde recorrem à repetição de imagens, que inclusivamente são de um canal concorrente. Por outro lado, assistimos a uma cena destas em directo, indiscutivelmente lamentável, e não há qualquer reacção, e ainda mais grave, nem referências à situação há na emissão televisiva do jornal do dia seguinte. Ou melhor, mostram um pequeno excerto (logo no inicio da entrevista) e nada mais se fala sobre isso, como se nada se tivesse passado. Portanto abençoado youtube e afins que não permitem que o assunto seja “abafado” de forma tão simplista e desinteressante. Por sua vez são assustadores (e alguns deploráveis e infelizes, para não dizer mais) os comentários aos vídeos existentes no youtube no que respeita a esta matéria. Se por um lado a polémica pode trazer aumento de audiências, acredito que também muito facilmente as retire. E isto de tapar o sol com a peneira é vergonhoso. Se as pessoas querem e acima de tudo gostam de dar opiniões – que me parece que é no fundo a vontade da jornalista em causa – sobre os seus pontos de vista sobre este ou aquele assunto, então que se lhes dê um espaço onde eles possam exprimir o que pensam (um pouco à imagem de como o meu amigo Filipe fez comigo ao criar este espaço onde posso livremente divagar sobre os assuntos da actualidade ou outros). Sugiro então que a nomeiem comentadora residente, onde é possível (e além de lhe ficar bem ela gosta) falar sobre o que achar pertinente e opinar de forma que achar mais correcta.

 

Agora como jornalista é caso para dizer, “oh meuz amigozzzz” – há princípios éticos e deontológicos (como é referido no vídeo) que de facto devem ser cumpridos e mais importante, têm que ser cumpridos. Se não são ou se não há ninguém a fazê-los cumprir, algo está mal. Da mesma forma é importante não esquecer que o público é um bom (se não mesmo o melhor) indicador do trabalho que se faz em qualquer profissão que seja e por vezes é benéfico seguirmos algumas das indicações que nos vão sendo dadas. Pelo menos essa atitude demonstra maturidade, profissionalismo e mais importante que tudo prova que somos humildes e capazes de perceber o que facilmente pode ser melhorado, principalmente no que respeita ao canal e ao programa em causa que indiscutivelmente precisa de modificar “um” ou “dois” aspectos.

 

No fundo, os canais são livres e apenas os vê quem quer. Mas engane-se quem acha que isto resolve a questão. Pois mesmo que eu não os veja, ele existe e se existe é porque tem que apresentar o mínimo de qualidade para subsistir, e olhando objectivamente para o assunto em mãos, e sem dar razão a nenhuma das partes – até porque me parece que isso é o menos importante – às sextas-feiras qualidade é algo que não se vê muito para aquelas bandas. Está na altura de mudar, já estamos cansados, eu pelo menos estou e nem sou daqueles que acompanha com regularidade… e ainda bem se não já tinha dado em maluco!

 

Até para a semana!

publicado por OlharCrítico às 17:47
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

FILMES: 2009

Angels & Demons

Choke

Gran Torino

O Contrato

Slumdog Millionaire

Terminator Salvation

The Watchmen

The Wrestler

Transformers 2: Revenge of The Fallen

 

 

FILMES: 2008

007-Quantum of Solace

10.000 BC

Burn After Reading

Eagle Eye

Hancock

I Am Legend

In The Valley Of Elah

Indiana Jones & The Kingdom of The Crystal Skull

Iron Man

Mamma Mia!

Max Payne

Meet the Spartans

Mirrors

National Treasure 2 - Book of Secrets

No Country for Old Men

Saw 4

Taken

The Curious Case of Benjamin Button

The Dark Knight

The Forbidden Kingdom

The Mist / Cloverfield / REC

The X-Files-I Want to Believe

Tropic Thunder

Untraceable

Wall-E

You Don't Mess With the Zohan

 

 

FILMES: 2007

1408

300

American Gangster

Beowulf 3D

Corrupção

Die Hard 4.0

El Laberinto Del Fauno

Fantastic Four 2

Ghost Rider

Ocean´s 13

Piratas das Caraíbas 3

Rocky Balboa

Shrek 3

Sicko

Spider-Man 3

The Bourne Ultimatum

The Brave One

The Good Shepherd

The Simpsons Movie

The Transformers

Wild Hogs

Zodiac

 

 

FILMES: 1980-1989

Aeroplane

Big

Look Who's Talking

 

 

"Indivíduas" do Sexo Feminino

O Estranho Caso… das Traduções de Títulos

Let´s Look At a Trailer… Or Not…

Xô Publicidade Xô!!!

Cinema Português… Para onde vais tu?

País de Brandos Costumes... Pipocas ou McDonald's?

Ò tempo, volta para trás! (Já baixavas os preços do cinema não?)

"Filmes para Maiores de…"

"Original vs Dobrado"

"Livros e Cinema (serão assim tão diferentes?)"

"E Viva lá TV!!"

"Futebóis"

"O TERROR, o drama, a emoção… e por aí fora"

"Nunca um ADEUS mas sim um ATÉ JÁ!"

"Onde pára a Originalidade e a Imaginação?!"

"Excelência nas editoras?! – É raro, muito raro!"

"Férias… Palavras para quê?!"

tags

todas as tags

posts recentes

Férias… Palavras para quê...

Excelência nas editoras?!...

Onde pára a Originalidade...

Crítica: "Transformers 2:...

Nunca um ADEUS mas sim um...

O TERROR, o drama, a emoç...

Novos posters de "Sherloc...

Trailer (do caraças) de "...

Futebóis

Crítica: "Terminator Salv...

"Iron Man 2": 1ª foto de ...

Trailer de "500 Days of S...

Crítica: "Six Feet Under"

Venha daí o CLICHÉ pois e...

Sam Worthington em "Clash...

Ora digam lá, o que é mai...

David Carradine (1936-200...

Teaser de "[REC-2]"

E Viva lá TV!!

Livros e Cinema (serão as...

arquivos

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

links

votações

Melhor Bond...James Bond

Melhor Serial Killer

Melhor Filme de Natal

Melhor Filme de Super-Heróis

Melhor Actor Secundário

Melhor Filme Romântico

Melhor Série de TV actual

Melhor Transformação Física

Melhor Dupla de Cinema

Actor de TV mais sexy

Actriz de TV mais sexy

Melhor Monstro

Melhor Blockbuster

Melhor Actor Actual de Acção

Melhor Temporada do 24

Melhor Filme de Quentin Tarantino

Expectativas para o The Dark Knight

Melhor Filme de Steven Spielberg


Locations of visitors to this page

 

 

subscrever feeds